Cadastre seu e-mail e receba nossas atualizações

Os perigos da estradas brasileiras: Chapadão do Sul e região

Quantos acidentes entre (Posto São Pedro), Camapuã e Chapadão do Sul BR 060 e na MS 306 para Costa Rica,  Cassilândia e Paranaíba. É tanto que virou rotina e parece normal, o que é bastante triste.

Um dos grandes problemas do setor de transportes no Brasil, a má condição de muitas estradas nacionais e regionais traz consequências graves para o país. Entre os principais problemas que esta péssima condição das estradas brasileiras traz para o Brasil, estão a dificuldade de escoamento da produção do interior para os portos e aeroportos que movimentam a economia de nosso país, o grande quantidade de acidentes de todos os níveis (leves, médios e graves), a quantidade absurda de mortos nos acidentes e o atraso na economia, já que o país possui uma malha ferroviária e fluvial pequena e pouco aproveitada.


O que há de errado

Os problemas nas estradas são diversos: falta de sinalização, obstrução de pistas, obstáculos como a presença de animais nas vias, péssima condição do asfalto, falta de asfalto e ainda problemas causados pela ação da natureza, como erosão do solo próximo às estradas causando crateras no meio das vias. Outro grande problema é que a malha rodoviária do Brasil é razoável, mas ainda está longe da malha rodoviária de países desenvolvidos como os Estados Unidos e a China.

Vamos analisar nossas estradas da região para entender melhor esses acidentes:

  • As estradas brasileiras principalmente da nossa região não são duplicadas, é mão dupla e o que é pior NÃO TEM ACOSTAMENTO. Esta situação é uma vergonha para um governo federal e estadual não estão dando conta de melhorar estas estradas. E o dinheiro dos impostos quando fazemos uma compra no supermercado, taxas de mercadorias de uma estado para outro, IPVA, licenciamento, entre outros, é tanto dinheiro que a corrupção e a má gestão interfere infelizmente. Na minha opinião a única solução é privatizar estas estradas. Teremos que continuar pagando os impostos e mais o pedágio. Porém teríamos segurança,quem sabe pista duplicada e apoio de ambulância e guincho pronto para te atender em pontos estratégicos. Exemplo é a BR 163.



  • Velocidade. Somos acostumados a correr isto é fato. Aprendemos com nossos pais, avós e colegas, muitos pegam a 060 a 140 km normalmente. Para muitos é rotina. Mas a principal causa dos acidentes nesta região é a velocidade, principalmente capotamento ao desviar de animais ou de outro veículo que invade a pista contrária em uma ultrapassagem mal sucedida. Não importa se o seu carro é um pálio, gol ou um carro moderno da nasa. Colocou um das rodas fora da pista (que não tem acostamento) e com velocidade altíssima vai capotar. É fato. Então andar com velocidade moderada pode evitar tragédias. Muitos também vem de Goiânia e para a viajem render não tem como reduzir a velocidade então assumem outros riscos. Conheço muita gente que corre mas está vivo, mas não podemos seguir este exemplo. Temos que mudar, tudo é uma questão de probabilidade. Quais as melhores chances de acontecer um acidente, correndo ou velocidade moderada? Se todos viajassem entre 90km a 110 km por hora já diminuiria muito as estatísticas e um capotamento teria menos danos aos condutores.
  • Ultrapassagem. Fazer uma ultrapassagem forçada é um risco pois batidas de frente é fatal principalmente para carro de passeio. Muitos acidentes já aconteceram dessa forma em nossas estradas, não gosto nem de lembrar das perdas de vidas e como é feio este final. Pense nisso, um carro popular pesa 1 tonelada. Pare seu carro, saia dele e tente empurrar. Pesado né! Imagina bater a 20 km por hora em um muro, é uma pancada amigo. E uma caminhonete, mais pesado ainda. Agora imagina bater em movimento contra outro carro. Então, veja o perigo de uma ultrapassagem forçada, em pista sem acostamento e com velocidade alta pois uma ultrapassagem requer uma velocidade mais alta. É fatal. Tenha consciência meu amigo, ultrapasse com segurança. Cuide de você, da sua família e das outras.
  • Animais. Esta região tem muito tamanduá, anta, gato do mato, tatu, veado, entre outros. O perigo está quando eles atravessam de repente e um atropelamento ou desvio bruscamente pode ocasionar um capotamento. Um dia conversei com um motorista de caminhão gincho em Camapuã e ele disse que em média acontece 4 CAPOTAMENTOS na BR 060 do Posto São Pedro até Paraíso das Águas, e estes acidentes não são noticiados. Então, é muito perigoso, uma pista sem acostamento, mão dupla, estreita e cheio de motoristas imprudentes que tem habilitação mas não sabe dirigir nas estradas.

  • Buracos na pista. Este item sem comentários, somente viajando para entender a situação caótica na MS 306  e na BR 060.


Portanto temos que ter consciência de que nossas estradas são péssimas portanto cuidado redobrado. Direção defensiva é a melhor solução.


Como evitar os problemas

Para você que precisa utilizar as estadas brasileiras seja para passear ou para trabalhar, é importante ter muito cuidado em vários trechos que estão com problemas. É complicado dizer em quais regiões do país existem mais estradas com problemas, pois existem estradas em más condições em todas as regiões. Mesmo assim, alguns cuidados são imprescindíveis para uma viagem tranquila e segura.
Em primeiro lugar, é preciso manter o carro em boas condições. Suspensão, freios e pneus precisam ser verificados antes de uma viagem. Isso evitará que estradas com asfalto gasto ou pouco aderente causem problemas como derrapagens ou perda de controle do carro nas curvas. Além disso, planeje o seu trajeto a partir de informações prévias das estradas com as melhores condições. Utilize velocidades moderadas.

Use meios alternativos de transporte

Se você tiver alternativas para ir de um lugar a outro, procure fazer os trajetos por outros meios, como o aéreo ou o ferroviário. Além de mais seguros, esses meios possibilitam viagens mais rápidas e cômodas ao passageiro. Aqui em Chapadão tem um aeroporto e trem mas não tem linhas comerciais. Então não tem alternativa. O melhor é pegar um ônibus ou ficar em casa mesmo!!!

_______________________________________

Segue um manual de direção defensiva. Clique aqui!

Segue um texto do DETRAN. 
http://www.vias-seguras.com/comportamentos/direcao_defensiva_manual_denatran


O Denatran publicou em 2005 um importante manual de dicas de segurança, com título Trânsito seguro é um direito de todos.
Ao divulgar este manual, o Denatran tornou acessível ao público, um conteúdo sobre segurança no trânsito de grande valia para o aperfeiçoamento e a formação de motoristas e pedestres em melhores condições para enfrentar a selvageria no trânsito brasileiro.
Apesar de ser a base para atitudes corretas, o simples conhecimento técnico não é suficiente para tornar o trânsito seguro.
Mais do que isso, é necessária a conscientização dos usuários sobre a importância da adoção de comportamentos de prevenção de acidentes.
Com o objetivo de contribuir com o aperfeiçoamento de motoristas e pedestres publicaremos aqui 10 artigos, os quais têm como títulos, alguns tópicos abordados no Manual de Direção Defensiva do Denatran..
A seguir, os títulos que serão disponibilizados periodicamente.
1. Trânsito seguro é um direito de todos
2. Riscos, perigos e acidentes
3. Acidente não acontece por acaso, por obra do destino ou por azar
4. Manutenção periódica e preventiva
5. Cinto de segurança
6. Condições do piso da pista de rolamento
7. Cruzamento entre vias
8. Ver e ser visto por todos torna o trânsito mais seguro
9. Pressa
10. O constante aperfeiçoamento.

Trânsito seguro é um direito de todos

Trânsito seguro
Introdução ao Manual de Direção Defensiva do DENATRAN

Riscos, perigos e acidentes.

Comentário do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN
Acidentes de trânsito são resultantes de falha no sistema via, homem, veículo.
Embora mais de uma causa possa contribuir para a sua ocorrência, o mais importante são as atitudes ao nosso alcance para evitá-los.

Acidente não ocorre por acaso, por obra do destino ou por azar

Comentário do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN
Todo acidente tem uma ou mais causas.
No caso dos acidentes de trânsito, podemos afirmar que a via, o homem, o veículo, associados ou não, são os fatores determinantes para a sua ocorrência.
Acidentes podem ser evitados, desde que determinadas atitudes sejam colocadas em prática diante das situações.

Manutenção periódica e preventiva do veículo

Comentário do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN
A manutenção periódica e preventiva tem como objetivo evitar o mau funcionamento do veículo ou até mesmo a sua quebra.

Uso do cinto de segurança

Comentário do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN
Assim como o capacete é destinado para um pedreiro, os óculos para um soldador ou a luva para um médico, o cinto de segurança é um equipamento de segurança para os ocupantes de um veículo.

Colisão traseira

Uma regra simples para avaliar a distância de segurança

Ultrapassagem

A ultrapassagem é uma das manobras mais arriscadas.
Não tenha pressa. Aguarde uma condição permitida e segura para fazer a ultrapassagem.

Condições do piso da pista de rolamento

Comentário do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN
O melhor procedimento para uma direção segura em qualquer tipo de piso é mantermos uma velocidade adequada às condições desse piso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário